Leo Rocha

Ampla experiência em ambientes selvagens.
Desde criança Leonardo reside em ambientes selvagens, tendo uma vasta experiências e vivencia com a natureza em diversos ambientes, tendo percorrido diversos km de trilhas, margens de rios, navegando em rios em variados meios de transporte. O conhecimento indígena acompanha sua trajetória desde sempre, tendo aprendido, treinado, testado, utilizado e vivido ao longo de sua vida. Teve também importantes aprendizados vividos junto a comunidades alternativas e diversos Encontros de comunidades.

1987 Morou por seis meses na Aldeia Yawalapiti, no Alto Xingu

Aos onze anos de idade Léo foi convidado por pajés do Alto Xingu, presentes no 1º Encontro Nacional de Pajés, que aconteceu na Chapada dos Guimaraes a ir morar na aldeia. Isso aconteceu devido ao encantamento mutuo dos pajés com Léo e de Léo com os pajés e de já ter um bom conhecimento de plantas medicinais e recursos dos ambientes selvagens, perceberam também o encantamento da criança pela cultura indígena.
Nessa oportunidade teve a honra de participar de diversos rituais, incluindo os iniciaticos básicos como a reclusão, aonde teve contato com as diversas historias, que carregam durante milênios a cultura e conhecimento indígenas.

1994 - Retorna por mais seis meses ao Xingu anos depois.
Aos 16 anos retorna para a aldeia Yawalapiti, e outras diversas aldeias do Xingu, passando por diversos rituais de passagem indígenas incluindo varias iniciações de guerreiro e xamanicas, se aprofundando na cultura, e se aprimorando no aprendizado da confecção de armamentos e utensílios indígenas etc.

1986/2014 - Vem desenvolvendo trabalhos na área da marcenaria fina e de precisão.
Da confecção de moveis, esquadrias, portas, janelas e construção de casas, telhados, marchetaria, incrustação de diversos materiais em madeira, instrumentos musicais etc.

2005 - Utilização exclusiva de madeiras ecologicamente corretas nos trabalhos de marcenaria.
Apesar de ter como critério a prioridade do uso de madeiras com procedência ecológica, só a partir de 2004 é que define esse como critério excludente.

2008 - Restauração das esquadrias e da cruz principal da Igreja de Santana de Chapada dos Guimaraes, primeiro patrimônio histórico tombado no estado, administrado pelo IPHAN.

Nov/2011 - Aprovado na seleção para protagonizar a serie de TV Desafio em Dose Dupla Brasil, do Discovery.
Após longa e criteriosa seleção, envolvendo principalmente suas habilidades em sobrevivência em ambientes selvagens e conhecimento da cultura indígena. Destacando-se nas habilidades manuais e prática com materiais naturais além de sua adaptabilidade adquirida ao longo da vida.

Dez/2011 - Inicio das gravações da primeira temporada.
Em parceria do Cel. Leite, também protagonista do programa, foram gravados seis episódios:
Pantanal mato-grossense, Caatinga na Serra da Capivara, Cânions do Sul em Aparados da Serra, Cerrado no Jalapão, Patagônia Argentina e Patagônia Chilena. E das vinhetas na floresta amazônica em Alter do Chão, Para.

Ago/2012 Lançamento da 1ª Temporada do Programa Desafio em Dose Dupla Brasil.
Em horário nobre (21:00), foi considerado o programa de maior audiência na época do lançamento. Foi reapresentado na sequencia, tamanha audiência, e reprisado ate os dias atuais.

2012/2014 - Entrevistas para diversos meios de comunicação, em decorrência do Programa.
Revista Monet, Estado de Sao Paulo, Folha de Sao Paulo, entrevista filmada na UOL e diversas outras entrevistas e matérias publicadas sobre a série.

Ago/2013 - Inicio das gravações da 2ª Temporada do Programa.
Gravação da nova temporada da serie com mais seis episódios: Amazônia Ilha de Marajó e Presidente Figueiredo; No Nordeste Raso da Catarina e Delta do Parnaiba; E na região sudeste Mata atlântica em Superagui e no PETAR. Além da gravação das vinhetas e material publicitário em Prudentópolis, Paraná.

26/08/2014 - Lançamento da segunda temporada.

2014 - Ida ao Xingu
Retomando contato com as aldeias passando varias noites em Aldeia Yawalapiti, Mehinaku e Kalapalo e tendo passado por diversas outras, percorrendo nessa viagem cerca de 1200Km de carro, 600Km de barco, 120 Km de trator e muitos outros de bicicleta e a pé. Aprofundando os conhecimentos e praticando a confecção do Arco Preto, lendária peça xinguana considerado o melhor arco indígena existente. Sendo Léo o único branco a ter a oportunidade de aprender essa arte que esta desaparecendo entre os índios.

2014 - “Vivencias com Leo Rocha”
Inicia atividades de vivências com grupos a fim de experienciar praticas de sobrevivência em ambientes selvagens. A partir de então realiza esse trabalho em Bauru/SP, Serra do Cipó/MG e Aparados da Serra/SC.

2015 Abertura da Loja Leo Rocha Arte Indígena.
Com a intenção de promover a cultura indígena, dá inicio ao comércio de artigos indígenas.

Conheça mais sobre a loja CLIQUE AQUI!

 

Copyright - Leo Rocha Arte Indígena - Desenvolvido por Portal Chapada MT